quem somos

+55  98  2109 5000
escola que também aprende
escola que também aprende

quem somos

Fundada em 1985, a Escola
Crescimento conta com o
reconhecimento da comunidade
pelos serviços prestados à
área educacional

Embora a distância rodoviária que
separa a capital maranhense da
“Cidade Maravilhosa” seja mensurada
em extensos 3.015 km, São Luís e
Rio de Janeiro conservam
particularidades em comum.
As cidades abrigam histórias de
pessoas e instituições que são
capazes de atravessar fronteiras
e que se entrelaçam.
O ano era 1980. Naquela época,
não existiam internet nem telefone
celular, entre outras tantas invenções
às quais se tem acesso hoje.
O Brasil era governado por um
regime ditatorial e convivia com
o fantasma da inflação galopante.
Esse cenário, no entanto, não
desestimulou a jovem educadora
Maria Ariadine Bacelar de Castro,
que sonhava em dar início a uma
pequena escola na capital fluminense.
O bairro escolhido foi o condomínio
Novo Leblon, na Barra da Tijuca.
Estava fundada a Escolinha das Artes.
Em 1984, a oportunidade de mudança
da família para a cidade de São Luís
fez com que o sonho de edificar uma
escola ainda maior se concretizasse.
“Lembro como se fosse hoje.
O Jardim Escola Crescimento abriu
suas portas, em uma casa alugada no
bairro do Olho d’Água, com três turmas
e apenas 25 alunos. Tudo era motivo
de muito orgulho”, diz a fundadora.
Segundo Maria Ariadine, a escolha do
nome da escola denotava o cultivo de
um valor muito forte, que é o de
evolução contínua. O empreendedorismo
era um dos pilares. “Na década de 1980,
quando a maior parte das escolas de
São Luís se localizava no centro da
cidade, em locais de difícil acesso e
inadequados, a Crescimento
instalou-se em uma área ampla e
arborizada que propiciava um
espaço agradável para as crianças.
Foi um desafio”, afirma ela.
Com uma proposta inovadora, que
envolvia alunos e famílias em um
relacionamento participativo e
democrático—o que não era muito
comum na época—, a concepção de
ensino priorizou a experimentação, a
vivência e a compreensão das diferenças
e necessidades de cada criança.
Tudo isso permeou o próprio modo
de gerir a instituição.
“Quando só se falava em qualidade total
para as indústrias, já estudávamos e
implantávamos ferramentas adaptadas
à realidade da escola. Iniciava-se um
processo de gerir a Crescimento como
uma empresa, visando atender melhor
as famílias”, comenta a fundadora.

qualidade certificada

Com o passar dos anos, a escola cresceu
consideravelmente e passou a abrigar
turmas do Ensino Fundamental, uma vez
que diversos pais queriam que os filhos
continuassem os estudos na mesma
metodologia da Educação Infantil.
A expansão foi planejada e gradativa.
A unidade Renascença foi inaugurada
com o ciclo de Maternal e o de
Educação Infantil completo, em 1993.
Um ano mais tarde, deu-se início ao
Ensino Fundamental, com uma turma de
1ª série e outra de 2ª. Nesse período,
o Jardim Escola Crescimento tornara-se
Escola Crescimento.
Outro grande salto, segundo Maria
Ariadine, foi quando a Crescimento
aliou-se ao Pueri Domus Escolas
Associadas (PDEA), antecipando-se
à reforma educacional desencadeada
pela nova Lei de Diretrizes e
Bases da Educação.
O Ensino Médio chegou em 2002,
momento que coincidiu com a
conquista da certificação de qualidade
ISO 9001:2000. Em 2009, a escola foi
recertificada com base na revisão
mais atual da mesma norma, a
ISO 9001:2008. “Os funcionários
adotaram essa cultura empresarial e
sabem que analisar criticamente dados
e planejar iniciativas são coisas que
devem rondar o cotidiano deles”,
avalia Maria Ariadine.

responsabilidade social

A implantação do Ensino Médio
teve a perspectiva de dar
continuidade ao trabalho
realizado no Ensino Fundamental.
Com o amadurecimento da
proposta pedagógica e
os excelentes resultados no
Exame Nacional do Ensino Médio
(Enem), estabeleceu-se na
comunidade a imagem de escola
forte, que prepara cidadãos
para os vários desafios que
encontrarão pela vida.
Em 2006, a escola associou-se
ao Instituto de Cidadania
Empresarial do Maranhão (ICE-MA),
iniciando um novo foco na gestão,
o da responsabilidade social.
“Ao propiciar em nosso universo a
aprendizagem da convivência
saudável, cumprimos nossa função
maior, que é, por um lado,
abordar conhecimentos sobre a
diversidade da espécie humana e,
por outro, levar as pessoas
a tomar consciência sobre as
semelhanças e a interdependência
entre todos. Somos uma escola
que aprende e uma equipe de
profissionais que sempre busca
fazer mais e melhor”, finaliza
Maria Ariadine.